Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Realizar poupança

Saiba mais »

 | Realizar poupança  | Realizar poupança
Lifestyle

E, hoje, já disse obrigado?

Publicado em 11-01-2018 por Cofina Conteúdos

Na data em que se celebra o Dia Internacional do Obrigado, 11 de janeiro, é tempo de ponderar sobre todas as pequenas e grandes coisas por que somos gratos e dizer “obrigado”, uma palavra que vai muito longe. Saiba como.

Facilmente tomado como garantido, é muito provável que por vezes nos esqueçamos de dizer “obrigado”, não só aos outros, reconhecendo os seus atos, como a nós próprios, agradecendo o que temos, tangível ou intangível. Agradecer permite-nos reconhecer tudo o que temos de bom nas nossas vidas e torna-nos mais felizes, um facto comprovado cientificamente.

Maior empatia

As pessoas que sentem e expressam gratidão têm mais propensão para comportamentos pró-sociais, mesmo se os outros agirem de forma pouco simpática, de acordo com um estudo da Universidade do Kentucky, que apontava uma menor tendência destas pessoas para retaliarem quando confrontadas com comportamentos ou feedback negativos.

Autoestima em grande

Gratidão pode ser também sinónimo de maior autoestima, o que nos atletas, por exemplo, pode conduzir a um melhor desempenho, segundo constatado num estudo de 2014, publicado no Journal of Applied Sport Psychology. É igualmente um fator importante na redução de comparações sociais. Pessoas gratas ressentem-se menos com o sucesso dos outros, com a riqueza ou melhores empregos, sendo capazes de apreciar os seus feitos.

Mais saudável

Sentir e expressar gratidão pode repercutir-se também em menos dor, de acordo com um estudo publicado, em 2012, no jornal Personality and Individual Differences, que aponta ainda para uma maior tendência das “pessoas gratas” para fazer exercício ou exames médicos de rotina, por exemplo.

Um ponto a favor da resiliência

A gratidão pode revelar-se uma componente importante na superação de traumas e na redução do risco de stress pós-traumático, como comprovaram os estudos publicados na Behavioral Research and Therapy e no Journal of Personality and Social Psychology, sobre veteranos da guerra do Vietname e vítimas do ataque do 11 de setembro, respetivamente.

Diários de gratidão

Uma das formas de cultivar a gratidão é escrever diários de gratidão, um caderno, bloco de notas ou documento Word onde diariamente pode anotar tudo o que de bom lhe aconteceu ao longo do dia: um elogio, uma tarefa bem-sucedida, uma conversa, um encontro ou algo tão simples como o café que tomou logo pela manhã.

Manter este hábito, vai rapidamente aperceber-se, fá-lo-á mais feliz. A razão é simples: ao reconhecer as coisas por que se sente grato, terá mais consciência do que o faz sorrir e serão decididamente mais do que estava à espera.

Disciplina é outro dos benefícios que pode alcançar ao escrever num diário de gratidão. “Obrigar-se” a sentar-se diariamente cinco a dez minutos nas coisas boas do seu dia é uma forma de ganhar alguma disciplina e autocontrolo. Por sua vez, esta reflexão e este reconhecimento estimulam a autoconfiança e o sentido de valor, o que se reflete na sua atitude e na de todos aqueles à sua volta, melhorando as suas relações sociais.

Um diário deste tipo reflete-se ainda na sua saúde, com a redução dos níveis de stress e de todas as implicações que este tem para a saúde.

Obrigado

Dizer obrigado(a) é simples. E há tanto para agradecer. Um bom trabalho – colegas e empregados reagem por norma com maior produtividade e boa disposição, algo que se aplica também na sua esfera familiar e social, por exemplo –, um jantar oferecido, um gesto tido, um café bem tirado, um desenho oferecido com carinho, o sol – ou mesmo a chuva – que se faz sentir, uma boa amizade… a lista é extensa. Agradeça! Uma palavra, uma nota, um email, um ecard, um postal, um ramo de flores, não há como errar. Aproveite o dia!