Cortina Header
  Gestão Orçamental

Realizar poupança

Saiba mais »

 | Realizar poupança  | Realizar poupança
Casa

Está a pensar pedir crédito? Antes de decidir, avalie o seu orçamento

Publicado em 25-01-2018 por Cofina Conteúdos

Um novo crédito implica despesas extras. Ter a noção do impacto que a subscrição do crédito terá no seu orçamento e até que valor pode ir quando contrair o crédito é algo que convém ter bem definido para evitar surpresas a médio e longo prazo.

Se está a pensar contratar um crédito habitação, um crédito pessoal, um crédito automóvel ou pedir um cartão de crédito, é importante certificar-se que pode suportar a sua mensalidade. Fazer bem as contas, nesta fase, é essencial para saber quanto pode pagar e, consequentemente, quanto pode pedir. Ter a noção exata de quanto dinheiro entra mensalmente na sua conta e quanto sai permite-lhe uma noção clara do estado das suas finanças e qual a margem que tem a nível económico para gastos adicionais.

Avalie o seu orçamento

Comece por anotar os rendimentos fixos individuais ou conjuntos, dependendo da sua situação, sendo que não deve considerar os rendimentos varáveis que resultam situações pontuais, como comissões de vendas, etc. Procure também fazer um balanço das várias despesas: empréstimos e seguros mensais, mensalidades do cartão de crédito, telefone, supermercado, refeições, lazer, saúde, combustível/passe, vestuário, educação, etc. Pode fazê-lo recorrendo, por exemplo, ao nosso Check-Up Financeiro. Não se esqueça de incluir um valor de poupança para imprevistos, sendo que idealmente deveria pôr de lado cerca de 10% dos seus rendimentos todos os meses. Se o total das despesas for superior aos seus rendimentos, talvez seja melhor reconsiderar o novo empréstimo e concentrar-se em equilibrar as contas. Se o crédito que pretende for para a casa, deve considerar também as despesas inerentes, como impostos, eletricidade, água, gás, condomínio, seguros, decoração, eletrodomésticos, etc. No caso de veículo, há que acrescentar gastos com combustível, manutenção, seguros, revisões, etc.

Se tiver vários créditos, pondere a possibilidade de uma consolidação dos mesmos. A consolidação baseia-se em contrair um único crédito para saldar todos os créditos que tem a decorrer. Desta forma, fica a pagar uma só mensalidade num prazo fixo e alargado, garantindo-lhe uma redução do valor que paga mensalmente. Se esta puder ser uma solução para si pode conhecer a proposta do Cetelem.

Feitas as contas

Com todas as contas feitas e identificada a quantia que pode comportar mensalmente com o novo empréstimo, informe-se sobre as várias linhas de créditos disponíveis e compare-as cuidadosamente. Peça sempre a Ficha de Informação Normalizada (FIN), documento que as instituições de crédito devem disponibilizar aos clientes aquando a apresentação de uma simulação ou proposta de crédito com as principais características do contrato e compare-as.

Atualmente, uns cliques na net são o suficiente para ter acesso a um simulador, entre os quais o nosso, o da DECO, ou o do Banco de Portugal (habitação), por exemplo. Estes simuladores permitem saber quanto terá de pagar mensalmente para o empréstimo concedido. Use-os, mantendo em atenção que, idealmente, a sua taxa de esforço deverá situar-se entre os 30 e os 40%. Para calcular a taxa de esforço deve dividir o valor total das suas prestações pelo rendimento médio mensal, multiplicando-o depois por 100 para obter a percentagem.

Atenção à TAEG

Um dos pontos a considerar se pretender solicitar um crédito é a taxa de juro que incidirá sobre o mesmo. A TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global) é uma das principais variáveis, determinando os custos globais do crédito e permitindo-lhe simultaneamente avaliar quais as melhores condições de crédito de entre as propostas. Além das despesas de cobrança e pagamentos de juros, esta taxa engloba impostos, comissões e seguros obrigatórios, bem como demais encargos.

Antes de assinar e no decorrer do contrato

Por fim, esclareça todas as dúvidas com a instituição a que vai recorrer para obter um crédito, para que, antes de se comprometer com a assinatura de um contrato, saiba exatamente o que ficou definido, e o que esperar. Desta maneira, evita surpresas desagradáveis inesperadas no futuro.

No decorrer do contrato de crédito, muita coisa pode acontecer, e, portanto, em caso de dificuldade nunca hesite em comunicar com a instituição onde contraiu o crédito para procurar uma solução. Deixar arrastar situações só agravará a sua situação, por isso, entre em contacto com a instituição.