Cortina Header
  Gestão Orçamental

Antecipar outros encargos

Saiba mais »

 | Antecipar outros encargos  | Antecipar outros encargos
Casa

Oito erros financeiros a evitar

Publicado em 29-03-2018 por Cofina Conteúdos

Conheça alguns dos erros comuns e facilmente evitáveis que não deve cometer para assegurar a boa saúde das suas finanças

Não conhecer os seus hábitos financeiros

Tem a certeza de que sabe onde e quanto gasta do seu dinheiro? Verifica regularmente o saldo e os movimentos da(s) sua(s) conta(s) bancária(s)? Sabe em que pode facilmente cortar para compensar um gasto extra, como uma prenda, um jantar ou uma escapadela de fim de semana? Conhecer os seus hábitos financeiros e controlar o seu orçamento é imprescindível para uma boa gestão do seu dinheiro e para tornar possíveis os seus projetos.

Não ter um fundo de emergência

Precisamente por acontecerem sem se esperar, as emergências podem comprometer a sua situação financeira, pelo que é essencial estar preparado. Se ainda não pôs de lado dinheiro para este fim, está na altura de começar. O ideal é atingir uma quantia equivalente a entre três e seis meses de despesas, pondo de lado mensalmente 10% do seu ordenado – se não for possível, comece com 5% ou mesmo 3%; importante é mesmo juntar o necessário para as eventualidades.

Não fazer um seguro

Uma mais-valia também quando os imprevistos acontecem, os seguros de habitação, vida ou saúde são algo que não deve descurar. Mesmo que nunca precise de os usar. São uma segurança que não deve subestimar. Caso tenha animais de estimação, informe-se sobre os melhores planos para os mesmos.

Não pensar a longo prazo

O tempo passa a correr diz uma conhecida expressão e é num instante que os anos se sucedem e os filhos crescem. Não antecipar para o dia de amanhã preparando a sua reforma e assegurando o seu futuro financeiro é um dos erros que não deve cometer. Defina um plano e procure cumpri-lo rigorosamente.

Não investir

Rentabilizar o seu dinheiro para obter o seu retorno mais tarde é uma das medidas que não deve adiar para ver assegurado um futuro mais confortável. Transferir quantias de dinheiro para planos poupança, certificados de aforro, depósitos a prazo, fundos de investimento, etc., é algo que deve ponderar o quanto antes. Informe-se com um especialista sobre a melhor forma de aplicar o seu dinheiro e os riscos envolvidos para que o retorno seja aquilo que pretende.

Subscrições a mais

TV, canais premium e desportivos, Internet, Netflix, música, ginásio (especialmente se a assiduidade não for o seu forte)… é fácil deixarmo-nos seduzir pela variedade disponível de oferta de serviços, que, somados, facilmente “comem” uma boa fatia do orçamento familiar. Opte por planos familiares (alguns podem incluir amigos) sempre que possível e abdique do que for prescindível.

Abusar do cartão de crédito

É fácil esquecermo-nos de que o cartão de crédito não é uma extensão do ordenado, mas a sua utilização excessiva pode provocar grandes estragos na sua situação financeira, por isso antes de recorrer ao mesmo, certifique-se de que não vai pôr em risco a sua estabilidade económica.

Não falar sobre dinheiro antes de “juntar os trapinhos”

Se está a pensar casar-se ou viver em união de facto com alguém, não o faça sem antes abordarem questões relacionadas com dinheiro e elaborarem um plano, o que vai permitir conhecerem os hábitos de ambos, facilitando a tomada de decisões.