Cortina Header
  Gestão Orçamental

Manter alguma liquidez

Saiba mais »

 | Manter alguma liquidez  | Manter alguma liquidez
Casa

5 Conselhos para estimular a criatividade das crianças

Publicado em 22-08-2017 por Cofina Conteúdos

No mundo atual, marcado por uma rápida evolução tecnológica e desafios constantes, ambientais, sociais ou económicas, por exemplo, criatividade e capacidade de pensamento “fora da caixa” são decididamente uma mais-valia. Saiba como desenvolvê-las nos seus filhos.

Essencial no processo de aprendizagem, dado promover o desenvolvimento cognitivo, melhorar a capacidade analítica e de resolução de problemas ou mesmo a motricidade fina, no caso da arte, por exemplo, a criatividade aumenta a autoconfiança e pode inclusive estimular as capacidades de comunicação.

 

Responder às questões que os seus filhos lhe colocam é um bom ponto de partida para desenvolver a criatividade. Evite, no entanto, os “porque sim” ou “porque não”, mesmo que as perguntas comecem a aparecer-se um teste aos limites da sua paciência. Se não souber a resposta, não desespere – por vezes, até é melhor assim -; algo como “não sei, mas podemos tentar descobrir juntos” pode ter excelentes resultados, já para não falar do tempo de qualidade passado juntos, fruto da pesquisa em causa.

 

1. Observar com “olhos de ver”

Ensinar as crianças a observar o que as rodeia é extremamente importante, dos detalhes à perspetiva geral. Aponte para objetos, animais, pormenores interessantes que vê, pergunte de que cor(es) é, qual a forma, como se deslocam, para que serve, por exemplo, peça para descreverem o dia passado com um amigo ou a visita à casa dos avós. Peça-lhe para desenharem algo que viram ou estão a ver, para descobrirem o máximo de coisas de uma determinada cor ou forma, por exemplo.

 

2. Espaço só deles

Reserve um espaço em casa para os seus filhos onde tudo é permitido, desde pintar com os dedos ou lápis de cera, fazer construções ou esculturas, guerras de almofadas, dançar, modelagem, etc. No quarto, marquise ou sótão, uma área que seja deles.

 

3. Histórias ainda mais de encantar

Troque os personagens das histórias que lê aos seus filhos ou acrescente uma ou várias novas, como um cão ao Capuchinho Vermelho, ou um bobo à Cinderela e pergunte-lhes de que forma é que a história poderia mudar. Pergunte o que aconteceria se os anões tivessem expulsado a Branca de Neve ou se o Capuchinho encontrasse o Lobo Mau doente na floresta, etc.

 

4. Tempo de ecrã mínimo

A estimulação excessiva de informação e imagens online e o número de horas passada em frente de ecrãs – TV, tablet. Telemóveis, computador, consola – reduz a capacidade de desenvolver o pensamento criativo, pelo que deve ser limitado em prol de atividades que incentivem a exploração e descoberta.

 

5. Erros precisam-se

Deixe os seus filhos cometerem erros de vez em quando. Desde que não envolvam perigo para a sua segurança, os erros podem revelar-se uma boa forma de aprendizagem, desenvolvendo a capacidade de tomada de decisões e até fomentando a autoconfiança e autoestima. Para ajudá-los, oriente-os no caminho certo, mas deixe-os chegar lá por si próprios sempre que possível.