Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Prever as suas despesas

Saiba mais »

 | Prever as suas despesas  | Prever as suas despesas
Lifestyle

Como assinalar o Dia Internacional da Caridade

Publicado em 03-09-2018 por Cofina Conteúdos

Reconhecer os esforços de filantropia e caridade por parte de organizações e individuais. É esta a premissa por trás desta data, celebrada a 5 de setembro

Assinalado a 5 de setembro, no aniversário da morte da madre Teresa de Calcutá, em reconhecimento do seu trabalho junto dos mais pobres, o Dia Internacional da Caridade foi instituído através de uma resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas de 2012.

Trata-se de uma forma de promover a responsabilidade social e a solidariedade, apelando ainda a um maior envolvimento de todos nas causas solidárias. Para celebrar esta data, as Nações Unidas convidam o público em geral a contribuir de alguma forma para os vários esforços de caridade desenvolvidos um pouco por todo o mundo. Doações de bens de primeira necessidade e participação em campanhas educativas são algumas formas de se envolver, mas não são as únicas.

Ajude uma ONG

Locais ou internacionais, as organizações não governamentais (ONG) recebem de braços abertos qualquer envolvimento nos seus projetos. Informe-se na sua comunidade ou na internet sobre a forma de participar. Contributos monetários ou uma recolha de bens (alimentação, vestuário, produtos de higiene, mobiliário, etc.) são alguns dos gestos simples que fazem muita diferença.

 

Voluntário, porque não?

Disponibilizar algum do seu tempo regularmente (uma, duas ou mais horas semanais ou quinzenais) ou pontualmente, sozinho, com a família, amigos ou colegas, não exige muito e é altamente recompensador. Especialmente dada a diversidade de projetos em que pode envolver-se. De restauração/renovação de casas a arranjar bicicletas numa instituição de crianças ou ajudá-las com o trabalho escolar, ajudar na preparação e/ou distribuição de refeições a sem-abrigo, são alguns exemplos. Considere também fazer companhia aos mais idosos ou, caso tenha tempo, acompanhá-los numa ida ao médico, fazer um passeio pelo bairro,, ensinar português, há muito por onde escolher. A Bolsa do Voluntariado, o Serviço de Voluntariado Europeu, junta de freguesia, paróquia, hospital local, entre muitos outros, são locais onde pode informar-se.

 

Os animais são a sua fraqueza?

Acolher cães e gatos temporariamente como família de acolhimento temporário (FAT), apadrinhar animais nos abrigos, tornar-se sócio de uma destas instituições, participar como voluntário, ajudando a passear, a alimentar, a limpar, a sociabilizar, etc., contribuir com alimentos, casotas, camas, cobertores, por exemplo, são gestos que serão sempre bem recebidos.

 

Investir no desenvolvimento

Melhorar a vida em países em desenvolvimento é outra das formas ao seu alcance. Projetos como o Prajwala, que visa resgatar vítimas de tráfico sexual e dar-lhes posterior acesso a educação, cuidados médicos e formação profissional; o Women for Women, que oferece programas de empoderamento às mulheres em zonas de conflito; o No Lean Season, que visa reduzir os efeitos negativos da sazonalidade dos mais pobres em zonas rurais através da promoção de mobilidade laboral para aumentar os seus rendimentos; o The Water Project, que tem como objetivo o acesso a água limpa, potável, e a soluções de sanitização na África Subsariana, são algumas possibilidades, entre muitas outras.