Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Antecipe o Dia Mundial da Poupança e comece já a economizarAntecipe o Dia Mundial da Poupança e comece já a economizar

Antecipe o Dia Mundial da Poupança e comece já a economizar

Antecipe o Dia Mundial da Poupança e comece já a economizar

Assinalado a 31 de outubro, o Dia Mundial da Poupança visa alertar-nos para a necessidade de poupar para assegurar uma melhor qualidade de vida e a economia em geral.

O Dia Mundial da Poupança foi instituído pela primeira vez em 1924, no rescaldo da I Guerra Mundial, com o objetivo de restaurar a confiança das pessoas nas instituições financeiras, levando-as a guardar o dinheiro no banco e não sob os colchões. Desde então, esta data tem vindo a celebrar todos aqueles que diariamente se esforçam por aumentar os seus pés de meia e assim melhorar a sua qualidade de vida.

Grão a grão…

“When you save a bit, big things follow” (quando se poupa um pouco, acontecem boas coisas) é o lema do Dia Mundial da Poupança em 2020, que procura levar cada um de nós a ganhar hábitos de poupança. Conheça alguns dos hábitos que o podem ajudar nesta “missão”.

A importância do orçamento

Para conseguir cumprir os seus objetivos financeiros, é essencial criar um orçamento, que é o que lhe permite ter uma noção clara do estado das suas finanças pessoais/familiares e principalmente perceber onde gasta o dinheiro. Para o fazer, vai necessitar de reunir os comprovativos de todos os rendimentos mensais (seus e do agregado familiar), bem como de todas as despesas feitas ao longo do mês. Aqui tudo conta, do café e/ou jornal diário às contas de TV e net, seguros (dividindo a totalidade anual por 12), transportes, renda de casa e alimentação, entre outros.

Na posse de tudo isto, deverá fazer uma lista das despesas, agrupando-as em fixas (renda da casa, por exemplo) e variáveis, como alimentação, refeições fora, lazer, etc. Some todas as despesas e, separadamente, os rendimentos, e faça os ajustes necessários.

Se os rendimentos forem superiores às despesas, facilmente consegue destinar uma percentagem mensal para fazer crescer as suas poupanças. Se os gastos forem superiores aos rendimentos, significa que está a gastar mais que a sua capacidade financeira e que tem de encontrar rapidamente despesas onde cortar, para não se ver numa situação de sobre-endividamento.

Apps que podem ajudar

Para que possa poupar sem precisar fazer muitas contas, existem já várias aplicações para smartphone, muitas delas gratuitas ou a preços bastante acessíveis, sobretudo tendo em conta os ganhos que permitem. Mint, Moneywiz ou Goodbudget são três das muitas a que pode recorrer.

Fundo de emergência

Para não ser apanhado desprevenido numa emergência, e comprometer a sua situação financeira, prepare-se e crie um fundo de emergência, isto é, uma conta separada que deve criar para cobrir, pelo menos parcialmente, as despesas inerentes a imprevistos, uma espécie de rede de segurança a que poderá recorrer em caso de eventual crise financeira e que deve corresponder, idealmente, a cerca de cinco a seis salários.

Poupança à parte

Criado o fundo de emergência, está na altura de iniciar um fundo de poupança, uma conta especificamente criada para o efeito, para a qual deve retirar idealmente 10% do seu salário todos os meses. Se inicialmente os 10% não forem possíveis, comece com uma percentagem menor; o importante é assegurar que as suas poupanças crescem todos os meses, mesmo que pouco. Assim que for viável, deverá aumentar este montante. Para assegurar que, de facto, poupa esta quantia, deverá transferi-la automaticamente na data em que recebe o salário, para uma conta-poupança, na qual não deve mexer.

Não se esqueça das faturas

Pedir sempre faturas e validá-las regularmente no e-fatura é outro dos cuidados que não deve descurar para poder beneficiar de deduções que lhe poderão permitir um maior reembolso do IRS. E já que falamos em reembolso de IRS, acrescentá-lo total ou parcialmente às suas poupanças é uma opção a ponderar.

Negociar para poupar

Reveja regularmente os seus créditos e seguros e faça simulações para confirmar que mantém as condições e os valores mais vantajosos. Se não for o caso, tente renegociá-los com a seguradora ou instituição financeira. Consolidar créditos ou juntar os seguros todos na mesma companhia e agregar toda a família a uma só apólice pode representar uma redução significativa nas despesas mensais. Faça as contas. E, já agora, analise bem os seus seguros e veja se não está a pagar por serviços que não precisa, caso, por exemplo, do parto no seguro de saúde, se não estiver a pensar ter mais filhos.

Aprofunde os seus conhecimentos financeiros

Desenvolver literacia financeira é a chave para tomar as melhores decisões no que toca à poupança e investimento. Aproveite por isso as ferramentas ao seu dispor: o que não falta são sites, jornais, livros, revistas ou mesmo webinars, entre outras possibilidades. É o caso, por exemplo, dos cursos Planear o Orçamento Familiar e Poupar e Investir, ambos gratuitos, do Portal Todos Contam.

Invista o seu dinheiro

Hoje em dia não são necessários valores elevados para fazer bons investimentos e rentabilizar o seu dinheiro. Dos Certificados de Aforro e Fundos de Investimento às ações, obrigações ou startups, encontra certamente um investimento com o qual se sente confortável e que lhe pode assegurar um bom retorno.