Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Powered by

Cetelem
Notas em Dia

A literacia financeira começa de pequenino

A literacia financeira começa de pequenino

A literacia financeira não é nada mais do que a compreensão das questões relacionadas com dinheiro: a sua gestão, consumo, poupança e investimento. Existe para facilitar a tomada de decisões conscientes sobre as finanças pessoais, no presente e futuro.

Por norma, a falta de conhecimento destes temas está associada a más decisões nas finanças pessoais e com um impacto negativo nas nossas vidas. Por isto, desde que saiba contar, qualquer criança está apta para compreender o conceito de dinheiro e podem começar a ser incutidos bons hábitos financeiros pelos mais velhos (que ao ensinar também recordam aprendizagens).

É por isso que não nos devemos esquecer que os bons exemplos começam dentro de casa, porque qualquer criança que veja os pais a fazer uma gestão responsável, ficará com esse exemplo. O importante é que aprendam a valorizar as poupanças e a consumir racionalmente, apenas, de acordo com as suas possibilidades.

Por onde começar?

Ganhar e Poupar

Devemos desde logo explicar-lhes que o dinheiro não é um recurso ilimitado e que se ganha com trabalho. Para que o compreendam melhor, poderá pagar-lhes por pequenas tarefas, como separar o lixo, varrer o jardim ou ajudar a lavar o carro.

Igualmente importante, devemos explicar-lhes que devem sempre poupar uma parte do que ganham para que, no futuro, consigam adquirir alguma coisa que queiram, como um jogo, por exemplo.

Mealheiro, um bom aliado

Armazenar dinheiro, fazer pilhas de moedas, vê-las a acumularem-se num frasco ou garrafa é algo de que as crianças pequenas gostam de ver e de fazer, por isso ofereça-lhes um mealheiro, que pode ser um porquinho clássico ou um frasco grande de compota, por exemplo.

Quando forem mais velhas e começarem a gerir o seu dinheiro, pode arranjar vários frascos ou envelopes, cada um para o objetivo a que se destina: brinquedo, guloseimas, poupança e, posteriormente, apenas um para poupanças que, quando estiver cheio, pode ser depositado numa conta bancária.

Gerir o dinheiro

Nas compras de supermercado ou noutras compras do quotidiano devemos explicar o que significam as promoções, ensinar a comparar preços do mesmo produto para descobrir a opção mais barata. Promover o pagamento de pequenas quantias com dinheiro e confirmar o troco são outras formas de os ensinar a gerir o dinheiro.

Já em casa, devemos alertar para a forma como as suas ações se refletem na economia da casa, como deixar as luzes acesas ou uma torneira aberta aumentam as contas no final do mês. Aproveite ainda Jogos como o Monopólio que ajudam a ensinar a gerir dinheiro e a planear a médio e longo prazo o que fazer com ele, por isso reúna a família e jogue.

Mesada ou semanada

À medida que as crianças crescem, os ensinamentos devem ser adaptados.  Para os mais velhos, a mesada ou semana são formas práticas de ensinar a gerir o dinheiro e de dar a conhecer novos conceitos, como as diferenças entre necessidades e desejos, encorajando-os a retirar uma percentagem para poderem concretizar algum sonho no futuro.

Independentemente do caminho utilizado, o mais importante é ser claro na explicação e recorrer sempre a exemplos práticos para explicar os conceitos. Mais do que apenas explicar, é ensinar dando o exemplo.