Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Manter alguma liquidez

Saiba mais »

 | Manter alguma liquidez  | Manter alguma liquidez
Casa

O seu patudo é obeso? Saiba o que fazer

Publicado em 01-06-2018 por Cofina Conteúdos

A obesidade nos animais de estimação está a tornar-se mais prevalente, estimando-se que cerca de 50 por cento dos cães e gatos tenham peso a mais, número preocupante face aos riscos para a sua saúde e qualidade de vida.

Tal como acontece com os seres humanos, a obesidade está a aumentar, atingindo níveis preocupantes nos cães e gatos de estimação, especialmente se pensarmos que os quilos a mais comprometem seriamente a saúde e bem-estar dos patudos. Redução do tempo e menor qualidade de vida, doenças como osteoartrite, diabetes, doença renal, hipertensão e cancro são algumas das consequências que lhe estão associadas.

Aporte calórico excessivo e falta de exercício estão entre os principais responsáveis pelo peso a mais dos animais de estimação, mas esterilização e predisposição de algumas raças são também fatores.

 

Excesso de peso?

Há algumas formas relativamente fáceis de identificar se o seu patudo tem peso a mais: 1) não conseguir sentir nem contar as costelas ao passar os dedos levemente pelo dorso; 2) não conseguir distinguir a cintura ao observá-lo de cima; 3) ao olhar de lado, com o animal de pé, a área atrás das costelas deve ter menor diâmetro do que a zona do peito,sendo que abdómen distendido e a “arrastar” próximo do chão é sinal de sobrepeso; 4) deslocar-se mais lentamente e não conseguir saltar tanto quanto costumava ser habitual.

 

O que fazer

Assim que perceber que o seu patudo poder estar com peso a mais deve procurar aconselhamento do seu veterinário, que lhe indicará o aporte calórico recomendado e prescreverá, se necessário, uma ração específica para o controlo do peso. Siga à risca as quantidades de ração recomendada e restrinja as guloseimas.

Aumentar a atividade física do animal é outra das preocupações que deve ter. Fale com o seu veterinário para saber quais as melhores atividades para o seu patudo, o que dependerá da raça, idade, sexo e capacidade física. As recomendações gerais, apontam, no entanto, para 30 minutos no mínimo de atividade física por dia para os cães e três períodos de cinco minutos de atividade física intensa diária para os gatos. Andar, correr, saltar, apanhar bolas, brincar com brinquedos controlados remotamente, brinquedos com laser, etc. são algumas das possibilidades. Comedouros interativos são também uma boa opção. No que respeita aos comedouros, experimente também colocá-los no peitoril da janela (certifique-se de que estão sempre à sombra), numa bancada, mesa, etc., a um nível elevado para os obrigar a pular.