Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Antecipar outros encargos

Saiba mais »

 | Antecipar outros encargos  | Antecipar outros encargos
Casa

Se não mede, não pode poupar em casa

Publicado em 17-03-2016 por Cofina Conteúdos

É impossível iniciar um processo de melhoria contínua das finanças domésticas sem ter uma noção clara do que quer melhorar. Por isso as métricas são importantes.

Dificilmente conseguirá poupar se não souber quanto recebe todos os meses e quais os custos e as despesas fixas mensais
que existem em casa. Seguem cinco passos que o vão ajudar a poupar em casa.

 

1. Crie um orçamento para as despesas da casa (com metas realistas)

A melhor solução passa por criar um orçamento. O ideal é criá-lo numa folha de cálculo (Excel ou outras ferramentas semelhantes) para ter as suas notas em dia. Se não tiver um computador, o modelo tradicional com um papel ou um caderno também funciona, apesar de ser um pouco mais trabalhoso.

O importante é que tenha as contas em dia e perceba onde está a gastar o seu dinheiro. Se possível, não se esqueça
de orçamentar um valor adicional para gastos variáveis que não estão previstos. Caso não gaste esse montante pode guardá-lo como poupança do mês.

 

2. Compare preços e procure antes de comprar

Não precisa de ir a todos os hipermercados para fazer um comparativo de preços – apesar de não ser uma má ideia estar atento aos preços dos supermercados e às promoções que realizam. Uma forma rápida de poder fazer essa análise é ir às páginas web das principais marcas e verificar preços. Também pode perguntar a familiares e amigos onde fazem as suas compras e qual
o valor dos produtos que mais consome. Se tiver conhecimento de algumas poupanças dos seus amigos, pode ser que aproveite
a deixa e a aplique também nas suas compras.

 

3. Minimize despesas de água e luz

Uma gestão mais cuidada em casa com a água e a energia facilita a poupança. Se tiver de trocar de eletrodomésticos porque
o tempo útil de vida está no fim ou porque se estragaram, procure adquirir os equipamentos mais eficientes e ecológicos.

Apesar de gastar um pouco mais na sua compra, poupará a médio e longo prazo nos consumos de água (máquinas de lavar louça e de lavar roupa) e de energia (máquinas de secar roupa, microondas, fornos, mas sobretudo frigoríficos e arcas frigoríficas
que estão sempre ligados e a consumir eletricidade). Verá que com estes simples passos, as suas faturas da água e da luz são mais reduzidas.

A substituição de lâmpadas tradicionais por lâmpadas Led é também aconselhável. Note que em nenhum destes casos compensa trocar um eletrodoméstico ou uma lâmpada em bom estado por outro novo com consumos mais reduzidos.

Outro pequeno gesto que traz poupanças na conta da luz ao fim do ano é apagar as televisões e os monitores do computador
em vez de deixar estes equipamentos na função stand by (modo espera).

 

4. Recicle móveis

Pode fartar-se da sua mobília. É normal que aconteça, mas antes de pensar em deitá-la fora, pondere uma reciclagem,
uma pintura com uma nova cor ou estofar as cadeiras e os sofás com novos tecidos. Estas opções podem ser mais económicas
do que desfazer-se da sua mobília para comprar outros novos.

 

5. Compra ou renda de casa?

Costuma ser um dos maiores encargos das famílias portuguesas. É bom ter casa própria, mas por vezes é mais económico
a opção arrendar. Deixa de ter preocupações com a manutenção do edifício e do condomínio. Com uma renda pode ter um custo fixo mensal mais reduzido do que com o pagamento de uma prestação ao banco por causa de um empréstimo para a compra
da casa. Essa poupança pode permitir um pé-de-meia que pode ser aplicado em outras necessidades ou simplesmente poupar
o dinheiro.