Cortina Header
  Gestão Orçamental

Antecipar outros encargos

Saiba mais »

 | Antecipar outros encargos  | Antecipar outros encargos
Casa

Quer um cão? Saiba o que fazer antes

Publicado em 29-05-2017 por Cofina Conteúdos

Da escolha do cão mais indicado ao seu estilo de vida ao veterinário, saiba como preparar a chegada do seu animal.

Um amigo para vida e um fiel companheiro, passe-se os clichés, é mesmo o que vai obter quando abrir as portas de casa a um cão, que além de tudo isto, poderá ter um papel preponderante na redução do stresse e da ansiedade (no caso de crianças ou pessoas mais idosas com Alzheimer, por exemplo) ou mesmo da tensão arterial. São muito bons também como desbloqueadores de conversa, podendo assim fomentar as interações sociais.

 

A melhor escolha

Tal como os seres humanos, no entanto, os cães têm também traços característicos e personalidade própria, pelo que antes de mais deve informar-se sobre o cão que melhor se adapta a si e à sua família, ao tipo de casa e rotinas. Independentemente do tamanho, há cães com muita necessidade de exercício e que não podem ficar confinados a um apartamento o dia todo; há cães muito sociáveis, particularmente indicados para grandes famílias ou pessoas que recebam muitos amigos em casa; há cães que ladram mais; outros mais aptos para viagens, etc. Informe-se com um veterinário, por exemplo, especialistas em treino de cães ou com alguém que conheça o cão em questão, o que pode acontecer num abrigo, se decidir adotar.

 

Seja flexível

Há sempre um ou outro cão que nos enche as medidas, mas ou porque exigem muita atenção ou manutenção, ou simplesmente porque a casa não é a mais adequada, não são opções viáveis: Não deixe que isto afete a sua escolha, nem se cinja a raças específicas – há cruzados e rafeiros com personalidades verdadeiramente cativantes que podem revelar-se a melhor das companhias se lhes der uma chance.

 

Casa à medida

Antes de levar o cão para casa, certifique-se de que a mesma está apta a recebê-lo. Detergentes, inseticidas e outros produtos químicos devem ser mantidos longe do seu alcance, tal como sapatos ou outros artigos que não queira ver estragados, no caso de animais de tenra idade.

Comedouro, bebedouro, cama e alguns brinquedos devem estar prontos também a recebê-lo, tal como ração apropriada. Aproveite e escolha também a trela, coleira e sacos de plástico para os dejetos na rua. No caso de viajar de carro, convém ainda ter uma transportadora ou cinto especial para sua segurança.

 

Veterinário precisa-se

Não há como ter cão e não ter veterinário, por isso, antes mesmo de o seu patudo chegar a casa, deve saber já onde dirigir-se para consultas de rotina, vacinas ou emergências. Entre hospitais, consultórios privados e clínicas há muito por onde escolher, perto ou não de casa, conforme lhe der mais jeito. Algumas instituições, como a União Zoófila, por exemplo, oferecem descontos nos serviços de veterinária aos sócios. Informe-se também junto da sua Junta de Freguesia ou Câmara Municipal sobre campanhas de vacinação e esterilização, entre outras.

 

Não compre, adote

Se está a pensar abrir as portas de casa a um cão, não compre; experimente dar uma volta por alguns dos abrigos e canis (evite fins de semana e horas de maior movimento, se possível) perto da zona onde vive e/ou visitar os respetivos sites. Há muitos animais abandonados à espera de uma boa família e com tanto para dar em troca. Dê-lhes uma oportunidade – vai ver que não se arrepende. Além de salvar uma vida, sair-lhe-á decerto mais barato: muitas vezes é gratuito; outras é-lhe pedido apenas o pagamento de uma taxa de adoção para ajudar a suportar as despesas com os animais. Dependendo da idade, os animais podem vir também já esterilizados. Muitos Já passaram por outras casas antes, pelo que não terá de se preocupar a ensinar-lhes “boas maneiras” ou a ir à rua. Adotar um cão significa também ajudar a instituição que o recolheu – regra geral assoberbadas -, que assim tem disponibilidade para acolher outro animal.