Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Realizar poupança

Saiba mais »

 | Realizar poupança  | Realizar poupança
Lifestyle

Viajar com vagas de calor: guia de sobrevivência

Publicado em 03-07-2019 por Cofina Conteúdos

Ser-se surpreendido com uma vaga de calor durante as férias, especialmente se o destino escolhido não for praia, pode revelar-se particularmente desagradável, mas com algum planeamento é possível continuar a desfrutar da viagem.

Com os termómetros a ultrapassarem barreiras pouco habituais em algumas zonas do planeta, moradores e quem se encontra de passagem precisam de encontrar formas criativas de se refrescar e de tentar manter a rotina. Um cenário que poderá fazer-se no nosso país ou num qualquer destino que escolhamos para férias. Se for o seu caso e antes de partir se se deparar com previsões de temperaturas tórridas, saiba como precaver-se e conseguir tirar o melhor partido da situação.

Na mala

Ao fazer as malas, inclua roupas fluidas, de tecidos leves e frescos, de cores claras. Especialmente as pessoas de pele clara e/ou sensível ao sol, bem como as crianças devem levar peças de manga comprida e calças para minimizarem a exposição ao sol e evitar queimaduras. Deverá evitar fibras sintéticas, a não ser que se trate de materiais técnicos, como alguns tecidos usados no equipamento desportivo. De evitar também roupa justa. Inclua chapéu de abas, protetor solar e creme pós-sol – poderá incluir igualmente uma écharpe ou uma bandana para molhar e refrescar a testa e o pescoço.

Hidratação precisa-se!

Se tem garrafas reutilizáveis e espaço, este é outro dos artigos que deve colocar na mala, já que beber água regularmente será essencial para manter os níveis de hidratação necessários ao seu bem-estar. Crianças e pessoas idosas requerem cuidados redobrados. Chá, limonada, leite, sumos naturais de fruta, batidos são uma boa alternativa, mas convém ter em atenção que podem ter um teor excessivo de açúcar, tal como os refrigerantes. Melancia, melão, tomate, pepino e aipo são exemplos de fruta e legumes ricos em água que pode consumir. O álcool deve ser evitado.
Tonturas, fadiga, náuseas, desorientação são alguns dos sinais de desidratação a que deve estar atento. Se os sintomas persistirem não hesite em procurar aconselhamento médico.

Retome a sesta  

Andar na rua entre as 11h e as 15-16h, o período de maior calor, deve ser evitado. Um hábito que pode retomar – até porque as férias também se fizeram para descansar – é a sesta após o almoço, com o quarto refrigerado. Já agora, deixe as cortinas, estores fechados sempre que se ausentar do mesmo, para reduzir a intensidade do calor.
Em alternativa, aproveite estas quatro ou cinco horas para visitar museus, igrejas e outros monumentos, subterrâneos, galerias, armazéns de lojas, etc., dado serem climatizados. Prepare-se no entanto para os encontrar mais cheios do que o habitual.

Pule a fila

Por falar em museus e monumentos, há muitos que já permitem a aquisição de bilhetes online, com acesso direto à porta de entrando, evitando ter de ficar horas à espera em filas à torreira do sol. Informe-se! Pode adquiri-los antes mesmo do início da viagem; é menos uma coisa com que se preocupar.

Quando o calor aperta

Nas horas de maior calor, se estiver no exterior, procure andar sempre à sombra. Abrigue-se em zonas de vegetação frondosa, com sombra, ou locais especialmente preparados para o efeito, com toldos, espaços artificialmente frescos, fontes de água, bruma, piscinas, etc.
Não saia do local onde se encontra hospedado sem protetor solar durante o dia e reaplique-o frequentemente.
Sempre que possível, molhe os pulsos, o rosto, pescoço ou mesmo os tornozelos e os pés em água fresca, já que estas são as zonas que mais rapidamente conferem uma sensação de frescura em todo o corpo. Pulverizar o rosto e pescoço com água mineral em spray é outra das medidas para alívio imediato do calor.
Esta é também uma boa altura para experimentar os aquaparques nas redondezas, caso existam.


Palavras-chave: