Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Segurança: proteja o seu carroSegurança: proteja o seu carro

Segurança: proteja o seu carro

Segurança: proteja o seu carro

Fecho centralizado de portas e alarme dificultam o roubo do seu carro, mas não o impedem. Saiba como proteger melhor o seu automóvel e aumentar a sua segurança.

Em Portugal, o furto de viaturas ocupa um dos lugares cimeiros na lista dos maiores crimes. Se a isto acrescentarmos as vandalizadas ou o furto de objetos em automóveis, facilmente se percebe que o panorama pouco ou nada tem de bom. Diminuir o roubo e “desmotivar os larápios” é, para a Polícia de Segurança Pública (PSP), um objetivo que só pode ser alcançado conjuntamente. Independentemente do tipo ou idade do carro, usado ou novo, recente ou antigo, com fraco ou elevado valor comercial, de modelo vulgar ou fora de comum, “para o marginal todos os carros têm interesse. Basta que exista um mercado paralelo de peças e acessórios”, refere-se no site da PSP.

A prevenção é sempre a melhor solução, mas há que ter presente que sempre que a tecnologia de proteção evolui, evoluem também os conhecimentos e as técnicas utilizadas pelos ladrões. É por esta razão que todos os cuidados são poucos, mesmo que o seu automóvel tenha alarme e imobilizador eletrónico, por exemplo.

 

Tem a certeza de que trancou o carro?

Com fecho centralizado de portas é fácil apontar o comando e trancar todas as portas ou simplesmente afastar-se, em alguns casos. Mas terá deixado mesmo o carro devidamente trancado? Convém certificar-se de que ouve o barulho característico da tranca de portas e que vê as luzes piscar, caso se aplique. Melhor mesmo é olhar para o interior do automóvel e confirmar que os trincos foram acionados. Porquê? Porque há já sistemas na mão dos profissionais do roubo que bloqueiam o sinal do comando e, não raras vezes, do próprio alarme. E por falar em alarme, se ainda não tiver, não espere muito mais para instalar um.

 

Investimento a ponderar

Dispositivos de corte de ignição ou alimentação de combustível e sensor de movimento são bons dissuasores, e um localizador de GPS é sempre uma ajuda extra em caso de furto efetivo e se o mesmo não for notado, naturalmente. Tranca de direção é também uma boa aposta.

Online consegue adquirir-se por preços acessíveis. Sites como o OLX, Auto Peças Store ou Mister Auto, são alguns exemplos onde pode encontrar estes dispositivos. Se perder algum tempo a pesquisar encontrará mais soluções.

Gravar o Número de Identificação do Veículo nas janelas é outra opção, de acordo com a Interpol, uma vez que, para as chamadas oficinas de desmontagem, quanto menos identificável o veículo, melhor.

 

Nada à vista

Roupa, dinheiro (por insignificante que seja o valor), sistemas de navegação (GPS), telemóveis, documentação pessoal, sacos de compras ou brinquedos não devem ser nunca deixados à vista, independentemente do valor. Convém não facilitar. Arrume tudo no porta-luvas, bagageira ou outros compartimentos do carro, de preferência sempre antes de o automóvel arrancar para o seu destino e não depois de estacionado, para não chamar a atenção. Mesmo não estando à vista, habitue-se a não deixar os documentos no carro (registo e livrete) – além de dificultarem a apreensão do veículo em operações STOP, por exemplo, são muito cobiçados no mercado negro.

 

Onde é que estacionou?

Apesar de óbvio, é fácil estacionar em zonas propícias ao acesso alheio, especialmente quando os lugares são escassos, mas evite deixar o seu automóvel em zonas escuras; quanto mais perto de um candeeiro público, melhor. E, se possível em locais visíveis, caso vá a um restaurante ou outras superfícies comerciais, prefira as zonas mais próximas da entrada. Recorde ainda que mesmo que se ausente por poucos segundos, nunca deixe as chaves na ignição e o motor a trabalhar.

Já agora, evite namorar dentro do carro, particularmente à noite e em locais com pouco movimento. Apesar de se tratar de uma recomendação bastante óbvia, a verdade é que são muitos os roubos nesta situação.

 

Chave à vista

Saber onde estão sempre as chaves é uma boa política, por isso cuidado a quem as entrega (valet parking, lavagem, etc.) para evitar que sejam copiadas, reprogramadas ou clonadas.

 

Após o roubo

Se não conseguir evitar que o seu carro seja furtado, deve ligar de imediato à polícia a relatar o sucedido. Marca, modelo, ano de matrícula, Número de Identificação do Veículo, cor e matrícula são os dados básicos que deve ter presentes. Deve também indicar características distintivas, como amolgadelas, riscos, autocolantes. Precisará igualmente de relatar o furto à seguradora.

Depois, para facilitar a sua recuperação, pode experimentar ligar para várias centrais de táxis e oferecer algum tipo de recompensa por informações que possam surgir – quanto mais tempo passar sobre o furto, maior a probabilidade de o mesmo já se encontrar desmontado ou até fora do país. Atenção, no entanto, não tente nunca negociar ou ceder a chantagem por parte dos ladrões – informe sempre a polícia.