Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Prever as suas despesas

Saiba mais »

 | Prever as suas despesas  | Prever as suas despesas
Lifestyle

Como reduzir o “tempo de ecrã” dos mais novos?

Publicado em 31-07-2019 por Cofina Conteúdos

Limitar o tempo de utilização de dispositivos eletrónicos como smartphone, tablet, consola de jogos, televisão ou computador não é tarefa fácil para os pais, mas é possível. Por isso, reunimos um conjunto de dicas que o vão ajudar.

Segundo as recomendações da Organização Mundial de Saúde, as crianças com 2 anos não devem ser expostas a ecrãs. Entre os 2 e os 5 anos, esta exposição não deve ultrapassar uma hora diária. Mesmo em idades superiores, recomendam que o tempo passado em frente ao ecrã seja limitado, uma vez que, quando excessivo, pode afetar o sono, os resultados escolares e até mesmo a saúde, tendo em conta o maior risco de obesidade.  

Com o avanço da idade, o progressivo aumento do número de horas em interação com dispositivos eletrónicos tem também vindo a ser associado à redução do envolvimento noutras atividades educativas, desportivas ou recreativas.

Se tem filhos e estes ocupam a maior parte do tempo livre no computador ou no telemóvel, deve restringir a utilização destes dispositivos em prol de outras atividades, se possível menos sedentárias. Os benefícios serão muitos.

Dê o exemplo

Por mais explicações que dê e por mais racional que seja, se estiver sempre ao telemóvel ou a ver maratonas de filmes, séries ou vídeos no YouTube, é praticamente impossível ter sucesso na redução do uso de dispositivos eletrónicos por parte dos mais novos.

Aqui a tecnologia não entra!

Uma solução poderá ser definir áreas da casa onde não é permitido o uso de dispositivos eletrónicos, como o espaço destinado às refeições ou mesmo o quarto, já que a luz emitida pelos ecrãs pode comprometer a qualidade do sono.

Atenção: esta regra tem de ser válida para todos, incluindo adultos, crianças e adolescentes.

Defina horários

Definir horários para a utilização destes dispositivos é também uma opção. Mais uma vez, à hora das refeições deve privilegiar-se a comunicação direta, da mesma forma que uma hora antes de deitar deve ser reservada à preparação de ir para a cama. Ao fim de semana, devem manter-se estes períodos e, idealmente, acrescentar outros, que devem ser preenchidos com atividades previamente programadas entre todos.

Use controlos parentais

Televisão, Internet, smartphones, consolas de jogos e até mesmo o Netflix, por exemplo, dispõem de controlos parentais que podem ser ativados para bloquear conteúdos inapropriados à idade dos filhos. Informe-se e use-os.

Fale com os seus filhos sobre os vários riscos

O limite de tempo ao acesso a dispositivos eletrónicos será sempre alvo de objeção e resistência. Porém, este comportamento poderá ser aceite mais facilmente se explicar os riscos associados à exposição permanente aos mesmos. Não se esqueça de mencionar a questão da exposição da privacidade nas redes socias e também do cyberbullying.