Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Como poupar no supermercadoComo poupar no supermercado

Como poupar no supermercado

Como poupar no supermercado

As idas ao supermercado são responsáveis por uma boa fatia do orçamento familiar, mas há sempre uma boa margem para poupar. Descubra como.

Se pretende ver as despesas reduzidas a cada ida às compras, comece por consultar os folhetos promocionais das superfícies comerciais da sua zona e elabore o menu para duas semanas, por exemplo, com base na carne, peixe e legumes que estão mais baratos, o que lhe permite não só ter tudo o que precisa à mão – e inclusive adiantar algumas refeições – como até comer de forma mais saudável: evita encomendar comida feita nas situações em que chega a casa e se depara com o frigorífico mal abastecido.

 

Listas sempre

Evite ir ao supermercado sem lista por pequena que seja. Minimiza o número e tempo despendido em deslocações para ir buscar o artigo que se esqueceu além de evitar “perder-se” nos corredores, acabando por levar artigos desnecessários. Se escrever “lista de compras” no Google, encontra vários exemplos que pode imprimir para facilitar a tarefa.

 

Não precisa? Não compre!

Mantenha-se fiel ao que tem na sua lista e não compre nada que não esteja lá escrito. Para resistir às tentações – lembre-se que as superfícies comerciais são concebidas para levar os clientes a comprar – evite passear pelos corredores e fixe-se apenas nos artigos predefinidos.

 

Produtos da estação

Frutas e legumes devem constar diariamente de uma alimentação saudável e equilibrada; são aliás cinco as doses diárias recomendadas para este grupo de alimentos. Para desfrutar de todo o seu sabor ao melhor preço, habitue-se a comprar sempre os produtos de época, bastante mais acessíveis.

Vales e cartões de descontos

Use e abuse. Só não vale entusiasmar-se e comprar o que não precisa. De resto, aproveite o mais possível as vantagens que estes produtos oferecem. Da redução imediata de preços aos descontos nos combustíveis, no final do ano, é significativo o valor acumulado.

 

A hora importa

Decerto já ouviu que estômago vazio é mau conselheiro, por isso não vá nunca às compras com fome, sob pena de ver o carrinho encher-se mais rapidamente… com coisas de que não precisava. Para os produtos do dia a dia, há lojas que a partir de certa hora vendem os produtos mais baratos (pão, salgados, bolos, etc.). Informe-se na área da sua residência e torne-os ponto de paragem frequente.

 

Adira às marcas brancas

Do papel higiénico a compotas e enlatados, as grandes superfícies oferecem hoje um vasto leque de produtos em tudo semelhante aos de marca do fabricante (muitos são inclusive produzidos por marcas com grande reconhecimento público), de excelente qualidade e substancialmente mais baratos. Apostas seguras são, por exemplo, a farinha, açúcar, óleo de cozinha, manteiga, enlatados, doces e compotas, congelados (legumes, peixe, etc.), bem como produtos de limpeza, entre outros.

 

Mais prático, mas também mais caro

Vegetais, legumes e fruta lavada e cortada, bem como algumas seleções de queijos ou enchidos prontos a servir são, de facto bastante práticos, mas nada baratos – basta comparar preços. Deixe esta opção apenas produtos que dificilmente encontra de outra forma, como a a rúcula ou canónigos, por exemplo.

 

Sem companhia

Manter-se fiel à sua lista é mais fácil se não se for acompanhado, sobretudo por crianças, às quais nem sempre é fácil dizer que não. Mesmo que vá com a família toda, é preferível – além de mais rápido – ficarem a brincar num parque infantil, na entrada ou nas áreas reservadas para os mais novos que muitas superfícies já têm.

 

Escolha o melhor preço

Devido às diferenças de tamanho e formato dos diferentes tipos de embalagens, habitue-se a comparar o preço por quilograma litro ou por unidade (confira as etiquetas dos expositores) – são estes valores que lhe permitem saber se de facto está a fazer a compra mais acertada. Isto aplica-se igualmente no caso de promoções, sobretudo quando os produtos são vendidos em pack – confirme se realmente compensa.

Faça um inventário regularmente do que tem no frigorífico, congelador e despensa e consuma o que lá tem. O que habitualmente se deita fora num ano por passar do prazo ou ficar esquecido num canto é dinheiro gasto em vão.

 

Fatura, claro!

Se ainda não incluiu na sua rotina pedir faturas com número de contribuinte, está na hora de repensar esta situação. Se não sabe o seu NIF de cor, imprima o cartão e-fatura no portal e-faturas e apresente-o sempre aquando de pagamentos.