Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Powered by

Cetelem
Notas em Dia

4 dicas para evitar o burnout

4 dicas para evitar o burnout

O stress provocado pelo trabalho remoto e a necessidade de conciliar a vida profissional e a vida pessoal/familiar pode levar facilmente ao burnout. Saiba como pode proteger-se.

Fadiga, stress, insónias, irritabilidade, sensação de ineficácia, perda de realização pessoal e/ou dores de cabeça são alguns dos sintomas associados ao burnout. Se lhe são familiares, não é caso único, particularmente nesta época que estamos a viver, em que a pandemia de Covid-19 obrigou a maioria das pessoas ao trabalho remoto, a partir de “uma casa cheia” 24 horas, sete dias por semana.

Tentar manter os níveis de produtividade, conciliando com a vida familiar, não é nada fácil. Gerir os horários de trabalho com as refeições, apoio aos trabalhos de casa dos filhos, entreter os mais pequeninos e a gestão de um espaço restrito que, de um dia para o outro, deixou de ser casa para passar também a ser escritório, escola, recreio, torna-se numa tarefa muito exigente.

Se para si está a ser difícil gerir tudo isto, damos-lhe 4 dicas para evitar esta síndrome:

1. Descanse

Dormir sete a oito horas por noite é uma rotina que deve adquirir e que deve incutir a todos os membros da família. Nas crianças e adolescentes, o ideal será acrescentar mais umas horas. Para que consiga adormecer cedo e calmamente, retire a televisão do quarto e não use o telemóvel, computador ou tablet antes de dormir; dê antes preferência à leitura de um livro. Fazer alguns alongamentos, poses de ioga ou meditar pode também ajudar. Se for sensível à cafeína, evite beber café ou bebidas com cafeína à tarde e à noite.

2. Não se esqueça do exercício

Não estamos a dar nenhuma novidade ao dizer que a atividade física faz bem – ao corpo e à mente – mas a verdade é que entre as muitas tarefas e solicitações do dia a dia, é fácil o exercício ser relegado para segundo… ou terceiro plano.

A boa notícia é que basta meia hora por dia para sentir efeitos benéficos, meia hora essa que pode ser dividida ao longo do dia. Por exemplo, ande 15 minutos antes de começar o dia de trabalho e acrescente-lhes mais 15 à hora de almoço ou a seguir ao jantar. Posto assim parece simples e de facto é. Use e abuse das ciclovias e faixas para peões, das bicicletas e trotinetas, em locais controlados e com poucas pessoas. E lembre-se: circule em segurança e sempre protegido!

Se o tempo é mesmo escasso e não quer sair de casa, experimente instalar uma das várias apps com treinos eficazes com menos de 10 minutos, como por exemplo, da Sworkit, da The Johnson & Johnson Official 7 Minute Workout, Butt Workout & Fitness ou da 7 Minute Workout. Pode também pesquisar por Tabata no Youtube.

3. Diga mais vezes “não”

Evitar dizer “não” é um problema comum que pode facilmente tornar-se fonte de frustração, ansiedade e stress, quando a sobrecarga atinge níveis desmesurados, tornando impossível dar resposta a todas as solicitações. E não falamos apenas da vida profissional, a familiar precisa também de algumas regras. Há, por isso, que procurar encontrar um equilíbrio. Haverá naturalmente alturas em que poderá ser necessário fazer cedências, mas estas serão a exceção. Lembre-se: o seu tempo, tal como o dos outros, é limitado. Por isto mesmo, é necessário criar rotinas e estruturar o dia, dedicando períodos específicos às diferentes tarefas que nesta fase lhe são exigidas: trabalhador, pai/mãe, professor, explicador, cônjuge, cozinheiro, animador.

4. Invista em atividades estimulantes e de lazer

O distanciamento social, a quarentena e o trabalho remoto obrigaram a deixar para trás as idas ao cinema ou algo tão simples como sentar-se numa esplanada a ler tranquilamente um livro ou simplesmente a conversar com amigos. Apesar de nesta fase de desconfinamento as limitações ainda serem muitas, programe na sua agenda momentos de lazer. Aproveite e volte a dedicar-se finalmente ao hobby que tem descurado ou a uma nova área de interesse que tenha descoberto ao longo do confinamento. Felizmente o que não falta hoje em dia são recursos: workshops, seminários, cursos… As opções são muitas e para todos os gostos e carteiras; nem sequer a distância, a que já começamos a habituar-nos, é obstáculo, porque a oferta online é vasta.