Powered by

Cetelem
Notas em Dia
A segurança começa nos pneus | Já verificou os seus pneus hoje?A segurança começa nos pneus | Já verificou os seus pneus hoje?

A segurança começa nos pneus | Já verificou os seus pneus hoje?

A segurança começa nos pneus | Já verificou os seus pneus hoje?

Manter os pneus do seu automóvel em bom estado é essencial para uma condução segura. São eles, afinal, o único ponto de contacto do seu carro com a estrada, daí a necessidade de os manter em condições ideais de estado e desempenho.

Manter os pneus do seu automóvel em bom estado é essencial para uma condução segura. São eles, afinal, o único ponto de contacto do seu carro com a estrada, daí a necessidade de os manter em condições ideais de estado e desempenho.

A escolha do pneu, ajustada ao piso e às condições atmosféricas onde circula predominantemente, bem como ao seu tipo de condução, deve ser ponderada. Fatores como a dimensão ou a medida do pneu, a aderência ao piso (molhado, seco, neve), a quilometragem (costuma fazer frequentemente viagens longas?), a eficiência energética e, naturalmente, a relação qualidade-preço devem ser uma preocupação. O Rótulo Europeu de Pneus, que indica a classe de eficiência energética, a classe de aderência em pavimento molhado e os valores de ruído externo, pode ser uma ajuda, mas convém sempre aconselhar-se com o seu revendedor.

Aquando da escolha dos pneus, convém ter em atenção que os quatro devem ser do mesmo tipo e tamanho, salvo indicação específica do fabricante do veículo.

 

Atenção ao desgaste

Quanto maior for o desgaste dos pneus do seu carro, menor é a sua segurança e pior se torna o comportamento do automóvel. Inspecionar regularmente os pneus deve ser por isso um hábito a adotar. A profundidade mínima legal dos pneus é de 1,6 mm, por isso aproveite e habitue-se também a controlá-la em diferentes pontos das bandas de rodagem (sulcos) principais – abaixo dos limites mínimos, arrisca-se a coima. Pode fazê-lo com um instrumento específico para o efeito – um profundímetro – ou, na sua falta, uma moeda de um euro pode dar-lhe uma ideia (para os pneus de verão): insere-a no sulco, se conseguir ver as estrelas na borda, poderá ter chegado a altura de mudar os seus pneus! Lembre-se de que um pneu usado apresenta riscos acrescidos de furo e aquaplanagem – não brinque com a sua segurança ou a de terceiros.

Rasgos, cortes, entre outros danos, não devem ser também subestimados. Sempre que detetar alguma anomalia, dirija-se a um estabelecimento especializado para saber se é necessário alguma reparação ou mesmo troca.

Permutar, entre cada dez mil e 15 mil quilómetros, os pneus vai permitir-lhe reduzir o seu desgaste e aumentar a sua durabilidade. Trata-se simplesmente de alterar a posição dos pneus, trocando os da frente pelos de trás e os do lado direito pelo lado esquerdo.

 

Uma boa dose de ar

Conduzir em segurança passa igualmente pela pressão dos pneus, que deve ser verificada pelo menos uma vez por mês – e sempre que note alguma diferença –, de acordo com as especificações do manual do seu carro. O ideal é verificar a pressão dos pneus a frio, não se devendo ter percorrido mais de quatro quilómetros até o fazer. Manter os níveis recomendados de pressão dos pneus contribui ainda para prolongar a sua vida útil e gastar menos combustível, por isso aproveite algumas das paragens nas estações de serviço para pôr combustível para pôr igualmente ar nos pneus. Vai de viagem e tem o carro carregado? Aumente um pouco a pressão dos pneus – se não souber os valores para o seu veículo, consulte o manual ou informe-se com um especialista.

De vez em quando, verifique também a pressão de ar do pneu sobresselente.

 

Mais segurança e maior conforto

Assegurar a correta equilibragem dos pneus, sempre que estes são desmontados e montados no seu veículo, é outro dos cuidados que deve ter: isto evita a sua vibração durante a rodagem, preservando não só os pneus mais tempo, mas contribuindo também para um maior conforto dos passageiros. Não menos importante é garantir o alinhamento da direção, algo que deverá ter em atenção especialmente se embater nalgum passeio ou berma, ou passar mais violentamente nalgum buraco.

Os amortecedores são outros dos componentes que interferem com os pneus e com a segurança – bem como o conforto – do seu automóvel, siga por isso as recomendações do fabricante para a sua revisão e substituição, aproximadamente aos 20 mil e 40 mil quilómetros, respetivamente.

 

 

Nota: Em zonas de inverno mais rigoroso, poderá ser necessário substituir os pneus por uns mais bem adaptados às condições climáticas. No caso de gelo e neve, verifique a pressão dos pneus semanalmente.