Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Marmitas: a chave para comer melhor e pouparMarmitas: a chave para comer melhor e poupar

Marmitas: a chave para comer melhor e poupar

Marmitas: a chave para comer melhor e poupar

Levar a marmita para o trabalho é uma excelente forma de poupar dinheiro em refeições e comer de forma mais saudável. Descubra como é fácil prepará-la.

Aliar o prático ao saudável é uma das principais vantagens de levar as refeições preparadas de casa para o local de trabalho. Pode sempre por optar para comer lá ou, se tempo o permitir, num jardim próximo… Já para não falar do que pode poupar e do desperdício que pode evitar em casa, por exemplo. Lancheiras, marmitas ou caixas herméticas, se preferir, vieram definitivamente para ficar, tendo-se tornado um acessório banal no dia a dia. Sobras da refeição de um dos dias anteriores ou preparada especificamente para a ocasião, uma das grandes vantagens das marmitas é saber exatamente aquilo que come, o que as torna excelentes aliadas para quem pretende uma dieta equilibrada e saudável.

 

O que levar na marmita

Na hora de preparar a refeição para levar na marmita, prefira alimentos ricos em fibra, carnes magras ou outra fonte de proteína e cereais integrais, de absorção lenta, por exemplo, opções que lhe permitem não só regular os níveis de açúcar no sangue e dar-lhe energia de forma gradual, como evitam o estado de sonolência do início da tarde. Uma vez por semana, pelo menos, procure inserir peixe rico em ácidos gordos, como a cavala, salmão ou sardinha – o coração agradece – e inclua diariamente um snack (30 g) de frutos gordos (amêndoas, nozes, avelãs, etc.) para recuperar energias e não chegar a casa faminto.

 

Simples e rápido

Sobras – Sempre a melhor opção, uma vez que o trabalho é reduzido ao mínimo; a chave é, aliás, fazer logo um pouco mais a contar com uma refeição extra para levar.

 

Sobras com um twist – Sobrou-lhe carne ou peixe do jantar? Desfie e junte a um pouco de massa (fusilli, por exemplo), milho e tomate ou outros vegetais que aprecie e que tenha no frigorífico. Quem diz massa, diz cuscuz ou arroz, entre outros.

 

Take away – Sempre que jantar fora e não conseguir comer tudo, peça para embalarem para levar para casa. Se não o fizer, vai para o lixo, por isso o melhor é mesmo aproveitar e desfrutar dos minutinhos livres extras com que ficou.

 

Ovos por que vos quero – Completos, saudáveis e nutritivos, os ovos são uma ótima fonte de proteína sem grande aporte calórico. São também muito versáteis (cozidos, mexidos, em omelete, etc.) com a mais-valia adicional de se prepararem num instante.

 

Fantásticas leguminosas – Associadas à prevenção e melhoria de doenças como as cardiovasculares, diabetes ou cancro do cólon, entre outras, bem como à melhoria do trânsito intestinal, as leguminosas como o grão, feijão, lentilhas, favas, soja são uma excelente base para uma refeição. Associe-as entre si (grão com feijão encarnado, pepino e outros vegetais, por exemplo) ou misture-as com cuscuz ou arroz (de preferência integral), junte uma salada verde e já está!

 

Wraps – Um pouco de imaginação é tudo o que precisa para um almoço prático e diversificado. Basta juntar, salmão, queijo creme e rúcula ou rosbife, alface, tomate e um pouco de molho tártaro, ou barrar com um pouco de paté e acrescentar pimentos padrón e dois ovos de codorniz estrelados. Como vê, criatividade é a chave. E não faltam sites para se inspirar.

 

 

Nota: Evite bolos e guloseimas; fruta da época, desidratada ou assada, iogurte e gelatina são opções bastante mais saudáveis e tão ou mais agradáveis ao paladar.