Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Evolução prevista nos preços em 2022Evolução prevista nos preços em 2022

Evolução prevista nos preços em 2022

Evolução prevista nos preços em 2022

A ressentir-se ainda da pandemia, este ano inicia-se com a subida de preços nos serviços e produtos, que poderá ver-se ainda mais agravada devido ao aumento progressivo dos combustíveis.

Ainda bastante afetada pela covid-19, é pouco provável que a economia nacional recupere em 2022 níveis semelhantes aos dos anos anteriores à pandemia e o mesmo se aplica ao rendimento dos portugueses. No salário mínimo e remuneração de base dos funcionários públicos, há a registar uma nova atualização para os 705€, um aumento de 40€ face a 2021. Na Função Pública, a atualização é de 0,9%.

No que respeita ao Indexante dos Apoios Sociais (IAS), verifica-se um aumento de 4,39€ face a 2021, passando dos 438,81€ para 443,20€.

Energia

Dia 1 de janeiro trouxe consigo também as novas tarifas em vigor, que se traduzem em aumentos vários, a começar por 0,2% para o mercado regulado. “A EDP Comercial vai fazer uma atualização média de 2,4% (…), uma atualização” que, de acordo com a presidente da EDP Comercial, se traduz “numa variação média de 90 cêntimos por mês”. Na Galp, o aumento mensal dos preços finais da eletricidade e do gás natural rondará os 2,7€.

Quanto à Iberdrola e Endesa, cujos preços aumentaram no ano passado, terão descidas no mercado liberalizado em 2022, que se prende com a redução das tarifas de acesso às redes definidas pela ERSE.

Leia também: Casa mais quente de forma mais eficiente

Água

Aqui, as novidades não são infelizmente as melhores, já que os consumidores verão a fatura da água aumentar, de acordo com a inflação e/ou dos valores previstos nos respetivos contratos, uma medida determinada pelo Decreto-Lei n.º 124/2021 de 30 de dezembro.

Leia também: Oito gestos eficazes para preservar água

Bens alimentares

Uma má notícia para muitas pessoas é a subida do preço de muitos produtos alimentares, como o pão, legumes, carne, etc., fruto da subida dos combustíveis, dos custos energéticos, inflação e escassez de matérias-primas.

Leia também: Organize o frigorífico e evite desperdiçar alimentos

Entre os artigos não alimentares que vão encarecer estão ainda o vestuário e o tabaco.

Rendas

Ao contrário do que aconteceu em 2021, em que as rendas se mantiveram congeladas, este ano as rendas aumentam 0,43% de acordo com o INE – Instituto Nacional de Estatística; em termos práticos, isto implica um aumento de 43 cêntimos por cada 100 euros de renda. Há, no entanto, alguns programas aos quais pode recorrer para tentar economizar, como é o caso do Porta 65.

Saúde

A subida de custos generalizada poderá ter efeito borboleta nos custos hospitalares e repercutir-se nos seguros de saúde, cujo valor se prevê vir a aumentar.

Também a ADSE tem uma nova tabela de preços, com subidas em muitos casos, como partos, alguns exames de radiologia, entre outros.

Por outro lado, 2022 traz a criação de um mecanismo-travão de descida de preços dos medicamentos. Trata-se de uma medida para evitar ruturas de stock, segundo a qual os medicamentos até 15€ não sofrerão descidas; os de custo entre 15-30€ não poderão descer mais do que 5%; nos de valor superior, a descida não poderá ir além dos 10%.

Transportes, combustíveis e inspeções

Para quem tem passe, as notícias são boas, já que para os passes sociais do Porto e os passes únicos Navegante, Municipal e Metropolitano não estão previstas alterações de preço.

Em contrapartida, o preço dos transportes públicos terá um aumento de 0,57%, de acordo com a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT). O Alfa Pendular da CP é a exceção à regra.

Para quem se desloca regularmente em veículo próprio, além dos aumentos quase semanais a que temos vindo a assistir de combustível, este ano vai pesar ainda mais na carteira a subida dos preços das portagens (1,84%) e das inspeções obrigatórios (passa para 31,80€ para os automóveis ligeiros e para 47,59€ para os pesados).

Também a Via Verde poderá passar a ser mais cara, isto se os consumidores a usarem para além do simples pagamento de portagens. É o caso de pagamentos de combustível, parques de estacionamento, etc.

Quanto aos veículos elétricos, os preços de carregamento manter-se-ão inalterados para os consumidores. No que toca aos benefícios fiscais para aquisição deste tipo de veículos, estão previstos incentivos no Orçamento do Estado, mas desconhecem-se ainda quais concretamente, uma vez que este ainda não foi aprovado.

Leia também: Como reduzir os gastos com combustível

Comissões bancárias

2022 começa também com aumentos nas comissões bancárias anunciados já pelo Novo Banco BCP e Santander Totta, mas, se tem conta noutros bancos, prepare-se para ver o saldo diminuir graças às despesas cobradas.

Telecomunicações

Com uma presença cada vez mais forte nos lares nacionais, uma necessidade que se agravou com a pandemia e consequentes exigências a nível de teletrabalho e ensino à distância, as telecomunicações são outro dos alvos dos aumentos para 2022.