Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Antecipar outros encargos

Saiba mais »

 | Antecipar outros encargos  | Antecipar outros encargos
Casa

Poupar para a entrada da casa em quatro passos

Publicado em 14-06-2019 por Cofina Conteúdos

Se está a ponderar comprar casa, saiba como pode aumentar o pé-de-meia para dar como pagamento de entrada e aliviar as mensalidades futuras com o crédito habitação.

Anda a sonhar adquirir casa própria mas ainda não tem a quantidade necessária para dar como pagamento inicial posta de lado? Não desanime! Seguem-se várias sugestões para conseguir atingir este objetivo e até mesmo outros similares posteriormente, caso precise de financiar outros projetos/sonhos depois deste. Convém saber igualmente que já é possível adquirir casa sem entrada: o leque de escolha neste caso é mais reduzido e as mensalidades do crédito habitação mais pesadas, o que significa menor liquidez financeira, além de menor capacidade de conjugar com outros créditos caso precise. Esta é uma situação em que a paciência compensa a médio e longo prazo.

Deve ter ainda em atenção que não deve começar a juntar dinheiro para a entrada da casa antes de ter um fundo para emergências, que lhe deve chegar para as despesas de três a seis meses, caso venha a precisar. Mais: precisa de contemplar a poupança para a entrada da casa no seu orçamento.

Corte nos extras

Faça uma análise ao seu orçamento e veja em que despesas pode reduzir para este objetivo: esta é uma boa altura para ponderar mudar para um ginásio low cost ou, caso pague e não vá, eliminar esta despesa totalmente; para renegociar o contrato da luz, de telefone e cabo; repensar os almoços e jantares fora; filtrar as compras de supermercado (opte por marcas brancas, reduza o consumo de bebidas alcoólicas e refrigerantes, refeições pré-cozinhadas, snacks, etc.), entre outros que se adequem ao seu caso.

Venda o(um) carro

Desfazer-se do carro, se viável, é uma boa forma de fazer crescer o seu fundo para a casa. Do combustível e seguros à manutenção e parquímetros, são centenas ou milhares de euros que se “escoam” todos os anos. E com os passes a baixar consideravelmente, os transportes públicos tornaram-se uma boa alternativa em muitos locais do país. E, claro, há sempre a possibilidade de começar a deslocar-se de bicicleta ou a pé, por exemplo, ou optar pelo carpooling.
Esta é uma opção sobretudo a considerar por quem vive numa relação a dois com dois carros – o difícil pode ser escolher qual o veículo a “ir”, o que vai depender das reais necessidades e constrangimentos de cada um.

Encontre financiamento alternativo

Encontre complementos ao seu salário normal: dar explicações aos filhos de amigos, colegas ou vizinhos, passear os cães do prédio/vizinhança, fazer petsitting ou housesitting, catering, pequenas reparações, etc.

Reduza (temporariamente) a poupança para a reforma

Se está a contribuir regularmente para a sua poupança-reforma, deixe-a por uns tempos em standby ou reduza os pagamentos – informe-se junto da instituição financeira qual a forma mais vantajosa – e canalize esse montante antes para a casa durante um período não superior a dois anos.
Não use o dinheiro que tem na conta poupança-reforma para a casa dadas as penalizações e taxas associadas a esta medida.

Leia: Vai comprar a sua primeira casa? Erros a evitar