Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Tenha consciência dos seus proveitos e dos seus gastos

Saiba mais »

 | Tenha consciência dos seus proveitos e dos seus gastos  | Tenha consciência dos seus proveitos e dos seus gastos
Guia do Crédito

Que custos deve considerar quando se contrata um crédito pessoal clássico?

Publicado em 17-03-2016 por Cofina Conteúdos

Para além dos juros pagos pelo empréstimo, existem outros custos a considerar na contratação de um crédito pessoal clássico:

  1. Comissão de estudo/dossier e ou comissão de contratação
  2. Imposto de selo sobre a utilização do crédito

Algumas Instituições Financeiras cobram uma comissão inicial (designada por comissão de estudo, comissão de dossier, ou outra semelhante) para estudar a viabilidade de conceder um determinado empréstimo. Outras Instituições cobram opcionalmente e ou adicionalmente uma comissão de contratação.

À semelhança das restantes comissões também sobre o valor destas incide o imposto de selo de 4%.

Para além destes custos, todos os contratos de crédito pessoal são alvo do imposto de selo sobre a utilização do crédito, também conhecido por ISUC.

O ISUC é cobrado no momento da contratação do crédito, e não entra para o cálculo da prestação mensal. No caso de créditos pessoais clássicos, a taxa de ISUC a aplicar é variável de acordo com o prazo do empréstimo:

 

GuiaCredito04

 

No nosso exemplo, um crédito de 10.000€ a 60 meses, o ISUC a aplicar resultará da multiplicação da taxa de 1% pelo montante, ou seja, ISUC = 10.000€ x 1%= 100€.

Com base nestas componentes, um plano de prestações para um crédito pessoal de 10.000€, durante 60 meses com uma TAN de 9% teria a seguinte composição:

 

GuiaCredito04