Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Tenha consciência dos seus proveitos e dos seus gastos

Saiba mais »

 | Tenha consciência dos seus proveitos e dos seus gastos  | Tenha consciência dos seus proveitos e dos seus gastos
Casa

SOS animal: o que precisa no seu estojo de primeiros socorros

Publicado em 28-01-2020 por Cofina Conteúdos

Saiba o que deve incluir no estojo de primeiros socorros do seu animal de estimação para poder responder celeremente em caso de emergência.

Ter um estojo de primeiros socorros específico para os seus animais de estimação é a melhor forma de conseguir dar resposta a uma emergência em caso de acidente ou doença, em casa ou em viagem.

Luvas

Em látex ou borracha, ajudam a diminuir o risco de contaminação ou infeção por contacto, não só no animal, como também no cuidador. O ideal é ter vários pares, dada a possibilidade de se romperem ou ser necessária a ajuda de uma segunda pessoa.

Seringa

Quer seja para administrar medicação em forma líquida, como xaropes, ou água e outros fluidos em caso de necessidade de hidratação, não devem faltar em casa, mais especificamente no estojo de primeiros socorros de quem tem animais de estimação.

Soro fisiológico e/ou solução para olhos

Para lavar os olhos do seu patudo ou ajudar a remover objetos estranhos, poeiras ou outros agentes responsáveis pela irritação ou após contacto com produtos químicos. Dependendo dos químicos, poderá ser necessário aconselhamento médico, situação em que deverá levar consigo o produto em questão.

Antisséptico

Em spray, solução ou toalhetes, ajudam a desinfetar ferimentos e áreas em torno dos mesmos, reduzindo o risco de contaminação e infeção.

Pó hemostático

Trata-se de um coagulante, estancando o sangue no caso de corte excessivo das unhas dos animais domésticos como cães, gatos ou furões, por exemplo, podendo ainda ser usado em pequenos ferimentos.

Termómetro digital

Para saber se o animal está com febre ou não e ajudar a determinar a gravidade da situação. Nos gatos, a febre é indicada por uma temperatura corporal superior a 39,4 °C; nos cães, a partir dos  40 °C.

Tesoura de pontas redondas

Servem para cortar compressas e adesivos, bem como pelo em locais perto de feridas, e devem ter as pontas redondas para evitar ferimentos adicionais, especialmente de áreas como as orelhas, olhos ou focinho. Deve-se verificar o seu estado de tempos a tempos para afiar ou substituir em caso de ferrugem ou mau funcionamento.

Compressas esterilizadas e ligaduras

Ajudam a estancar o sangue, a proteger as feridas de contaminação e do contacto com o chão, como no caso das feridas nas almofadas plantares, proporcionando maior conforto ao animal, pelo menos até chegar ao veterinário.

Pinças

A melhor solução para remover farpas, vidro, espinho ou outros objetos cortantes alojados na pele do animal. Desinfete antes de usar.

Adicionalmente, deverá ter uma específica para remover carraças, que facilita bastante esta tarefa.

Medicamentos

Se o seu cão ou gato ou outro animal precisar de medicação regular, certifique-se de que tem sempre disponível e dentro da validade. Não dê medicamentos ao seu animal sem aconselhamento médico. Muitos medicamentos para seres humanos são fatais para os animais, caso, por exemplo, do paracetamol, em que um único comprimido pode ser letal para os gatos.

Cartão com números de emergência

Mesmo que os tenha adicionado à lista de contactos do seu telefone, é sempre bom ter uma pequena lista com números para ligar em caso de emergência. Em particular tenha sempre à mão o número do veterinário habitual, clínica ou hospital veterinário com serviço de urgência 24 horas e Centro de Informações Antivenenos, que “presta as informações e o aconselhamento necessários para uma abordagem correta e eficaz em situações de intoxicação, tanto em humanos como em animais”, pode ler-se no site do SNS. Trata-se de informação útil que fica disponível para todos os membros da família ou responsáveis pelos seus animais na sua ausência, como pet-sitters ou dog walkers, por exemplo.