Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Dez critérios na escolha de empregoDez critérios na escolha de emprego

Dez critérios na escolha de emprego

Dez critérios na escolha de emprego

Se está à procura de uma nova oportunidade de emprego, quem sabe até enveredar por uma área diferente, conheça alguns dos critérios a não descurar para garantir um futuro profissional estimulante e uma carreira aliciante.

Prioridades precisam-se

Seja o primeiro emprego ou já se encontre no mercado de trabalho há algum tempo, convém definir prioridades, avaliando os parâmetros mais importantes para si, o que pode passar não só pela remuneração, mas também pelas perspetivas de evolução, horários, possibilidade de teletrabalho, competências, missão, ambiente de trabalho, entre outros.

Saúde financeira da empresa

É fundamental informar-se sobre a saúde financeira da empresa ou instituição a que se está a candidatar. Crescimento do negócio, posição da empresa ou instituição no seu segmento de mercado, investidores, parceiros, clientes e/ou notícias nos media são fatores a ter em conta.

Boas práticas

Organizações independentes como Top Employers Institute ou Great Place to Work dedicam-se a reconhecer e certificar, a nível nacional e global, os empregadores e as empresas que se distinguem pelas boas práticas, sendo por isso uma referência no momento de procura de emprego. Entre os dez melhores Top Employers de Portugal 2022, cuja certificação é obtida através de um rigoroso processo de avaliação de políticas e práticas globais de Recursos Humanos, encontram-se o BNP Paribas Personal Finance, entidade que também tem Certificação Continental Europeia (Top Employer Europe), a Amgen, Angelini Pharma, DHL Parcel ou a EDP Renováveis. Já da lista de melhores locais para trabalhar constam empresas como a Anturio Business Software, a Nezasa (até 50 colaboradores), o Groupe SEB Portugal, a Imaginary Cloud (51 a 100 colaboradores), a Janssen Farmacêutica Portugal, a AbbVie (101 a 500 colaboradores), a Cisco Systems Portugal, a Noesis (501 a 1000 trabalhadores), a Capgemini Portugal ou a ERA Imobiliária (mais de 1000 trabalhadores).

Remuneração e/ou outros benefícios

Embora o valor do salário seja um dos fatores principais na hora de escolher um emprego, há outros benefícios que devem entrar na equação, como a possibilidade de teletrabalho, tickets restaurante, telemóvel, carro e combustível, seguro de saúde, computador, creche, médico ou ginásio para funcionários, por exemplo.

Possibilidade e tipo de evolução na carreira

Ter noção das possibilidades de evolução profissional é também um dos aspetos a considerar durante a procura de emprego. Convém também informar-se se a empresa proporciona formação ou mentoring.

Cultura da empresa

Política de recursos humanos e práticas sociais do empregador podem dar-lhe uma boa perspetiva do que pode esperar, nomeadamente no que respeita a igualdade salarial, causas, sustentabilidade e recursos.

Valores da entidade empregadora

Certificar-se de que os valores da empresa/instituição empregadora não chocam com os seus é meio caminho andado para um futuro risonho e promissor. Questões como ambiente de trabalho, respeito pelos clientes, idoneidade, sustentabilidade, responsabilidade social, transparência, por exemplo, quando não partilhadas, podem criar problemas de difícil resolução. Pondere os prós e os contras.

Mais-valias

O que para uns pode ser importante num emprego, para outros nem sempre é o mais relevante. Antes de avançar, procure assegurar-se de que há mais-valias, tente confirmar se a descrição do emprego corresponde ao que lhe foi dito durante a seleção, se aquilo que esperam de si está em linha com as suas expectativas, avalie os meios ao seu dispor, do material à(s) equipa(s), os desafios que vai encontrar ou o tipo de funções, especialmente se estiver empregado e pensar arriscar num novo desafio profissional.

Localização

A localização, ou melhor, a distância de casa para o local de trabalho importa e há que ser tida em conta. Seja porque implica fazer a mala e mudar-se para outro local, com tudo o que isso implica, especialmente se tiver família, seja porque terá de passar duas horas em cada sentido (com portagens e combustível) para poder trabalhar, ou porque os transportes não abundam.

Equilíbrio entre vida profissional e pessoal

O teletrabalho trouxe muitos benefícios, mas também dilui a fronteira entre o espaço profissional e o pessoal. Cada vez mais as empresas optam pelo regime híbrido (teletrabalho e presencial), mas o emprego presencial ainda é muito frequente. Seja qual for a modalidade, estude bem a sua rotina e necessidades pessoais e/ou familiares antes de se comprometer com um contrato de trabalho.

Leia também: A pensar em mudar de emprego? Conheça todos os aspetos que deve considerar