Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Não está a conseguir pagar as suas despesas? Saiba o que pode fazerNão está a conseguir pagar as suas despesas? Saiba o que pode fazer

Não está a conseguir pagar as suas despesas? Saiba o que pode fazer

Não está a conseguir pagar as suas despesas? Saiba o que pode fazer

Dificuldades financeiras e consequente incapacidade de fazer face a todas as despesas é um problema comum a muitas pessoas e famílias no nosso país. Se é o seu caso, saiba o que pode fazer para inverter esta situação.

Se chega ao fim do mês sem dinheiro para conseguir cumprir os seus compromissos financeiros, é urgente parar um pouco para fazer contas à vida e analisar algumas das soluções disponíveis para o ajudar a fazer face a esta situação. Só assim será possível reequilibrar as suas finanças

Antes de mais, é necessário assumir que está com um problema que precisa de começar a resolver, sob pena de a situação escalar mais ainda. Não menos importante, há que saber exatamente onde gasta o seu dinheiro, o que significa anotar todos os gastos sem exceção.

Check-up financeiro

Antes de mais, é necessário ter noção de que se não pagar as contas, estas voltarão mais tarde a bater-lhe à porta, com complicações acrescidas. É, portanto, necessário fazer uma avaliação cirúrgica às suas finanças (ou do agregado familiar) para ter uma ideia clara da sua situação atual, das contas importantes, mais urgentes.

Não menos importante é (re)fazer o seu orçamento tendo em conta estes novos dados e, mais do que nunca, manter-se fiel ao mesmo, limitando ainda as despesas ao mínimo possível.

Organização, nesta fase, deve ser a palavra de ordem, para impedir um efeito bola de neve.

Mude o mindset

Até conseguir reequilibrar as suas finanças, terá de assumir que a sua vida mudou e que terá de viver o mais frugalmente possível, o que poderá implicar alguns sacrifícios. 

Mais do que nunca, esta é a altura de eliminar gastos supérfluos, que muitas vezes ficam esquecidos, especialmente se forem pagos em débito direto, como canais premium ou mesmo toda a TV paga, assinaturas, hobbies e ginásio, lavandaria, engomadoria ou algumas quotas, por exemplo.

Reduzir as despesas com deslocações, minimizando o uso do carro em prol dos transportes públicos ou de andar mais um pouco para ir, por exemplo, ao supermercado, é outra das mudanças a fazer.

Crédito, o que pode fazer

Se tem crédito habitação e/ou crédito pessoal (carro, etc.), esta é uma boa altura para tentar renegociá-los junto da entidade financeira responsável. Isto é algo que deve tratar o quanto antes, para evitar entrar em incumprimento.

Para quem tem mais do que um crédito, consolidá-los num só, i.e., reunir numa só mensalidade todos os seus créditos, com uma taxa fixa até ao fim do contrato, é uma opção a ponderar. Informe-se.

Leia também: Crédito Consolidado – juntar todos os créditos num só

Reduzir os gastos de água, luz e gás

Se não o fez recentemente, esta é uma boa altura para passar em revista as várias ofertas dos distribuidores de gás e eletricidade, em busca de tarifários alternativos, mais acessíveis. Se estiver em incumprimento, é importante expor a sua situação e ver o que é possível fazer-se e se há possibilidade de pagamento a prestações, por exemplo.

Outra solução à disposição dos consumidores carenciados são as tarifas sociais da água, luz e gás, destinadas a aliviar as despesas com estes serviços. Normalmente atribuídas automaticamente, pode, no entanto, haver falhas, por isso se pensa que pode ter direito, deverá dirigir-se à Segurança Social ou Finanças, para solicitar o comprovativo necessário para entregar aos fornecedores.

Poupar nas refeições

Planear bem as refeições é outro dos hábitos a adquirir, tal como levar sempre as refeições de casa para o local de trabalho, uma forma de reduzir significativamente as despesas com alimentação, responsáveis por uma grande fatia do orçamento familiar.

Além disso, evita tentações na hora de fazer compras. Escolha sempre fruta e legumes da época, mais em conta e também mais nutritivos, e aproveite as promoções dos demais produtos – compare os preços por kg ou litro para ter a certeza de que está a fazer a melhor escolha.

Uma forma de poupar dinheiro, mas também tempo considerável, com a alimentação é preparar todas as refeições para a semana no mesmo dia.

Leia também: Coma saudavelmente sem gastar muito

Lista de compras de supermercado

Não faça nunca compras sem antes fazer uma lista de acordo com o orçamento disponível, mesmo tratando-se de compras online, e não se desvie do inicialmente definido, exceção feita se encontrar o mesmo produto mais barato.

Animais de estimação

Alimentação, higiene e despesas médicas pesam naturalmente no orçamento familiar, como acontece no caso dos demais membros da família. Em tempos de crise, também eles não foram esquecidos e são bastantes os locais onde pode procurar apoio para continuar a assegurar ao seu patudo os cuidados necessários.

Animalife, várias câmaras municipais e juntas de freguesia, o Hospital Veterinário Solidário, entre outros, têm programas de apoio para este tipo de casos.

Leia também: Reduza as despesas de saúde do seu animal de estimação em seis passos.

Venda o que não precisa

Uma forma de gerar rendimento no curto-médio prazo é vender aquilo de que não precisa. Aplicações como a Vinted facilitam muito este processo, tal como sites como o OLX ou o Facebook Marketplace, mas qualquer rede social pode ajudar.

Passe a casa em revista de fio a pavio e separe tudo aquilo que já não usa, nunca usou ou não precisa. Fotografe, faça o upload das fotografias, escreva uma pequena descrição e já está; basta esperar pelo retorno. De roupa a eletrodomésticos e utensílios de cozinha a móveis, não há nada que não possa vender.

Compre em 2ª mão

Roupa, especialmente para os mais novos, que crescem rapidamente, brinquedos, jogos, móveis, material escolar ou informático, por exemplo, podem ser adquiridos em bom estado e a preços bastante mais acessíveis em segunda mão, por isso aproveite.

Diga não

Esta não é uma altura para facilitar, por isso, não aceite convites para jantar fora, ir beber um copo, passar um fim de semana fora, etc., exceção feita se não lhe custar nada. Se fuma, trata-se de uma boa altura para pensar em deixar de o fazer, pela sua carteira e pela sua saúde.

Rede de emergência alimentar

Para muitas pessoas não é fácil pedir ajuda, mas numa situação de crise, isto é algo que deve ser ultrapassado e quanto mais depressa, melhor. Se está com dificuldade em comprar alimentos, aceda à rede de emergência alimentar desenvolvida propositadamente para ajudar pessoas e famílias na mesma situação.