Este website utiliza cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website estará a consentir a sua utilização. Para saber mais clique aqui.

Cortina Header
  Gestão Orçamental

Antecipar outros encargos

Saiba mais »

 | Antecipar outros encargos  | Antecipar outros encargos
Casa

Energia – Mercado regulado ou livre. Já se decidiu?

Publicado em 19-04-2018 por Cofina Conteúdos

Se ainda não mudou para o mercado livre de energia, avalie se compensa manter ou fazer a mudança. Há um simulador onde pode fazer as contas.

Optar pelo mercado livre de eletricidade e gás natural significa escolher o comercializador com a melhor oferta comercial disponível para si e para o seu agregado familiar. Implica por parte dos consumidores uma maior atenção ao mercado para fazer uma escolha mais consciente e informada.

De acordo com a ERSE, organismo responsável pela regulação dos setores do gás natural e da eletricidade, se estiver a pensar mudar de comercializador, “deve incluir os seguintes passos:

  • Consultar os vários comercializadores que atuam no mercado liberalizado;
  • Comparar as propostas de fornecimento recebidas e verificar qual a oferta globalmente mais vantajosa de acordo com os critérios do cliente (preços, periodicidade de faturação, condições de pagamento, qualidade comercial, serviços oferecidos, condições gerais e particulares dos contratos, duração e condições de denúncia dos contratos, etc.), tendo também em consideração as condições oferecidas pelo comercializador de eletricidade atual”. Para o ajudar neste processo, pode recorrer aos vários simuladores que esta entidade disponibiliza no seu site, um de preços de energia elétrica e outro para calcular o valor anual das faturas de eletricidade com base no seu consumo.

Cabe posteriormente, após celebração do novo contrato, ao comercializador escolhido tratar da mudança de comercializador.

Diferenças entre o mercado regulado e o mercado livre

A principal diferença é que enquanto no mercado regulado os preços e a oferta comercial são estabelecidos pela ERSE, no mercado livre, são os comercializadores que definem estes valores, sendo os preços diferenciados. O mercado livre permite assim que cada consumidor opte pela solução de fornecimento mais indicada para as suas necessidades e que possa trocar de fornecedor energético sempre que considerar mais vantajoso e sem custos.

Está no mercado regulado? Deve mudar?

Em primeiro lugar, sugerimos que consulte o Simulador de preços de energia elétrica que a ERSE tem disponível no seu site.

O período transitório para aderir ao mercado livre foi adiado, sendo possível fazê-lo até ao final de 2020. Basta seguir os passos descritos anteriormente. Até mudar, ou seja, sempre que estiver no mercado regulado, estará sujeito aos preços fixados pela ERSE.

Na altura de finalizar a troca para o mercado livre, certifique-se de que leu bem todo o contrato, letras miudinhas incluídas, e que os descontos recaem sobre o consumo/fatura total, opção mais vantajosa do que os descontos sobre a potência.

Mudou para o mercado livre, mas pretende voltar atrás?

Já é possível, graças à alteração ao Decreto-lei 75/2012 que consagra a livre opção dos consumidores domésticos de eletricidade pelo regime de tarifas reguladas aprovada no ano passado. Antes de mudar, no entanto, tenha o cuidado de fazer bem as contas e certificar-se de que está a fazer a melhor opção, que à partida será a mais vantajosa economicamente.