Powered by

Cetelem
Notas em Dia
Como poupar dinheiro: dez dicas práticas para poupar de forma simplesComo poupar dinheiro: dez dicas práticas para poupar de forma simples

Como poupar dinheiro: dez dicas práticas para poupar de forma simples

Como poupar dinheiro: dez dicas práticas para poupar de forma simples

O início de um novo ano é, por excelência, a altura de novas resoluções, entre as quais poupar costuma ser uma prioridade. Saiba como a manter este ano e nos vindouros de uma forma prática e descomplicada

As últimas doze badaladas do ano trazem consigo desejos e resoluções que todos gostaríamos de ver cumpridas, mas que não raras vezes tendem a ficar pelo caminho. Conseguir poupar ou poupar mais costumam estar no topo da lista. Se é o seu caso e pretende transformar esta resolução num hábito permanente, comece por seguir as próximas dicas. Vai ver como é fácil!

1. Defina um orçamento – Um dos primeiros passos para conseguir poupar e simultaneamente manter o controlo sobre as suas finanças pessoais é fazer um orçamento. Embora se trate de algo que muitas pessoas ainda resistem a fazer, um orçamento permite-lhe ter uma noção clara do estado das suas finanças pessoais/familiares e, sobretudo, saber para onde vai o dinheiro. Percebendo onde gasta o dinheiro, é mais fácil identificar as despesas que poderá cortar ou reduzir.

2. Peça fatura – Pedir as faturas e validá-las regularmente no e-fatura dá-lhe a possibilidade de conseguir um maior reembolso do IRS, que deve ser aproveitado para aumentar o seu pé-de-meia, trate-se de uma conta-poupança ou do fundo de emergência, por exemplo.

3. (Re)negoceie créditos e seguros – Periodicamente (o início de um novo ano é uma excelente altura) convém sentar-se e rever os seus créditos e seguros, fazendo simulações para confirmar se continua a usufruir das condições e valores mais vantajosos, caso contrário deverá renegociá-los com a seguradora ou instituição financeira. Consolidar créditos ou juntar os seguros todos na mesma companhia e agregar toda a família a uma só apólice pode também ajudar a reduzir significativamente as despesas mensais/anuais.

Leia também: Crédito consolidado – Juntar todos os créditos num só

4. Reveja os contratos de serviços – Da energia aos serviços de Internet e TV, passando pelo ginásio, as condições oferecidas mudam frequentemente, pelo que convém manter-se a par das melhores condições e mudar sempre que viável. Já agora, aproveite para ponderar o cancelamento de alguns, especialmente se não os aproveitar devidamente.

5. Recorra a uma app de poupança – São já muitas as aplicações user-friendly e intuitivas que pode descarregar e usar gratuitamente ou a preços bastante acessíveis. Mobills, O Meu Orçamento, Mint, 52 semanas, Moneycare, Moneywiz, Goodbudget ou Boonzi são algumas a que pode – e deve – recorrer.

6. Planeie as suas refeições – Fazer o planeamento das refeições para si ou para toda a família é um hábito definitivamente a adotar. Além de lhe permitir uma alimentação mais variada e saudável, possibilita-lhe poupar nos gastos mensais com comida e passar menos tempo na cozinha. Não menos importante, ajuda a reduzir o desperdício alimentar. E já que falamos de refeições, limitar ou mesmo eliminar o uso das plataformas de entrega de comida é um bom ponto de partida para reduzir despesas.

Ao planear as refeições, pense também em adotar o hábito da marmita, mais saudável e mais económico.

Descarregar a app SaveCook, desenvolvida por quatro alunos de engenharia da Universidade Nova, pode também ajudar a poupar na cozinha, não só em custos como em tempo, já que, além de disponibilizar várias receitas, pode criar listas de compras e indica onde se podem encontrar os produtos mais baratos.

7. Opte por transportes públicos – Com o preço dos combustíveis a prometer disparar quase todas as semanas, pelo menos a julgar pelo início deste ano, reduzir o uso do veículo pessoal em prol dos transportes públicos é algo a considerar. Tendo em conta o preço atual dos passes, por exemplo, mais baratos do que um depósito de gasolina, não há dúvidas de que se pode traduzir em poupanças significativas ao fim do mês.

8. Não faça compras sem lista – Habitue-se a passar em revista o que tem em casa, dos bens alimentares aos de higiene, vestuário e calçado antes de fazer compras, independentemente de ser ou não altura de saldos ou promoções. Faça sempre listas do que precisa – isto impede não só comprar o que não se precisa como fazer compras por impulso, permitindo-lhe ainda algum tempo para procurar as opções mais em conta.

9. Compre em 2.ª mão – Especialmente para quem tem filhos pequenos, que crescem rapidamente, esta é uma opção a ponderar. Dos “ovos” de transporte a camas portáteis e outro mobiliário, vestuário, jogos e brinquedos que são usados apenas alguns meses, as poupanças podem ser muitas. Experimente! Apps como a Vinted e lojas físicas específicas para este efeito são uma grande ajuda. Mesmo para si, para o vestuário do dia a dia, uma festa especial, cuja roupa só usará aquela vez, para redecorar a casa ou trocar de bicicleta, são várias as oportunidades.

10. Invista em literacia financeira – Desenvolver literacia financeira é fundamental para que possa tomar as melhores decisões não só no que toca à poupança como a investimentos para melhor rentabilizar o seu dinheiro. E o melhor de tudo é que não faltam ferramentas (gratuitas, muitas delas); basta investir algum tempo em cursos específicos como o Planear o orçamento familiar e Sistema económico e financeiro, sites especialistas ou jornais, por exemplo.

Leia também: Como começar a investir com pequenas quantias de dinheiro